Oração do Pai nosso

Entenda melhor a oração do Pai Nosso

A oração mais proclamada no mundo está baseada numa passagem de Mateus 6:9-13. A verdade é que ela está presente em muitas rezas, porém muito não conhecem seu real significado.

Por isso, vamos apresentar a oração dividida em algumas partes, para que além de você começar a proclama-la com mais consciência, também se atente na grandiosidade de seus significados.

Oração do Pai Nosso
Mateus 6:9-13

“Pai nosso, que estás nos céus!
Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino;
seja feita a tua vontade,
assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso
pão de cada dia. Perdoa as nossas dívidas,
assim como perdoamos
aos nossos devedores. E não nos deixes cair
em tentação,
mas livra-nos do mal,
porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.”

 

A verdade é que a oração é uma das ferramentas fundamentais do povo cristão, pois ela o ajuda a ter contato com o próprio Deus e se entregar ao Mesmo de corpo e alma, através da meditação em sua palavra.

Falar com Altíssimo, mostra a intimidade que pode-se ter com Ele. A famosa oração do Pai Nosso, aliás, é uma das mais utilizadas, pois foi proclamada por ninguém menos do que o próprio Jesus, que ensinou seus discípulos a pronunciarem. A verdade é que ela é um exemplo de oração, que, apesar de ser muito repetida da maneira em que foi escrita, não deve ser apenas deste modo, mas neste porte.

Vamos entender um pouco

A adoração à Deus

Baseamos a nossa adoração ao altíssimo através do verso “Santificado seja o teu nome”. Lembrando-nos que toda a glória deve ser a Ele.

Submissão à Deus

Lembrando-nos que tudo e todos foram feitos para Ele, temos as passagens “Venha o teu Reino, seja feita a tua vontade”

Provisão

Além de lembrar que somente ele merece toda a glória, devemos também reconhecer que tudo que temos e teremos vem dEle em: “Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia”

O perdão de Deus

Somos falhos e sabemos disso. O verso que diz “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. ”  Nos lembra que necessitamos tanto de sua boa misericórdia, como também devemos aceitar aquilo que damos aos nossos próximos. Pois, uma vez que perdoamos as falhas de nossos irmãos, estamos declarando que é aquilo que merecemos. Caso contrário, Deus poderá nos dar também aquilo que deixamos de oferecer. Ou seja, nada.

Gostou de aprender um pouco mais? Aproveite e leia também algumas dicas de Como ler a Bíblia.